terça-feira, 26 de março de 2013

Solidão.


Lá estava ela, sentada na janela com uma xícara de café nas mãos. Olhando através do vapor que tremeluzia. Lembrando de quando ela era feliz. De quando se sentia amada. De como era ter alguém com quem contar. Mas então ela se lembrou do mais importante.  Lembou-se que ela não viveu isso, era apenas lembranças de um sonho, uma doce lembrança que nunca existiu.
Ela costumava se sentir assim, esquecida. Sentia aquela sensação de que se ela desaparecesse ninguém notaria. Claro! Talvez alguém notaria! Quando eu não pagasse minhas contas alguém notaria. Quando eu faltasse o trabalho alguém notaria!  Mesmo com este ferimento no coração ela levanta a cabeça e continua dando um passo de cada vez. "Uma hora vai passar" afirma sem certeza. A única certeza que tinha era que deveria seguir sua vida na esperança dessa ferida cicatrizar tudo voltar ao seu devido lugar.

3 comentários:

  1. Curti hein!
    Soube usar bem as palavras, eu gosto disso :)

    Abraços,
    www.ps-carpediem.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Seus textos são muito lindos, isso é dificil pra um garoto, muito bom *-* bjs

    http://buscandosonhos.com/

    ResponderExcluir