domingo, 8 de setembro de 2013

Resenha - De repente, o amor




Nome: De repente, o amor.
Editora: Única Gente
Autor: Susan Fox
Número de páginas: 364

Aos trinta e um anos, a sorte de Kat Fallon com homens não mostra sinais de melhoria. Mas quando ela pede ao seu melhor amigo Nav Bharani para ser seu par no casamento de sua irmã mais nova, em Vancouver, ela não tem ideia de que está prestes a embarcar no passeio mais surpreendente de sua vida! Nav foi secretamente apaixonado por Kat desde que ela se mudou para a casa ao lado. Quando ela revela que adora passeios de trem, especialmente a parte da encontros-estranhos, Nav elabora um plano para conquistar o coração de Kat. Em cada etapa de sua viagem para Vancouver, ele aparece disfarçado como um homem estranhamente sexy. Atordoada pela ousadia de Nav, Kat decidi sucumbir às suas transformações criativas. Mas o que começa com uma inocente aventura, transforma em algo muito mais interessante para Kat. Ela é forçada a escolher entre suas fantasias de longa data ou a perspectiva de algo muito mais real.
Estou a algum tempo procurando livros com este gênero, inclusive comecei a ler 50 Tons mas eu já não gostei nas primeiras páginas. Quando eu vi que a Única Gente lançaria De repente, o amor eu já sabia qual livro eu solicitaria por primeiro KK.

Kat é uma mulher bem sucedida que trabalha em um hotel de luxo em Vancouver e espera encontrar a pessoa certa para constituir uma família, porém não tem muita sorte com os parceiros que escolhe. Nav um jovem indiano, que escolheu a vida dura de um artista ao luxo de ajudar seu pai em seus empreendimentos. Assim como Kat, ele tem sua vida amorosa um tanto quanto badalada.

Eles são melhores amigos e moram no mesmo prédio, a apenas uma parece de distância. Bom, amigos pela vontade de Kat, claro. Nav sente a ama e fará de tudo para tê-la em seus braços. Aproveitando o casamento da que irá acompanhar Kat no casamento de sua irmã e na teoria dela de que as pessoas se transformam durante uma viagem de trem, Nav decide investir. 

Para tanto ele cria um "jogo" onde ele se passar por outros homens bem sucedidos e conquista o coração de Kat com cada "pseudônimo" criado por ele. Uma história intrigante e excitante, com uma narrativa impecável. Vale muito a pena.



4 comentários:

  1. Igor, eu gosto da temática erótica, mas 50 tons não é um bom livro pra mim. Já li outras obras com o tema, mas prefiro livros de banca onde a narrativa é muito mais simples e divertida.
    Um beijo e obrigado pela visita no Baiana.

    Baiana Literal
    http://tharcilalima.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, eu até gostei de 50 tons, enfim, cada um com seu gosto, normalmente não ligo pra criticas quando gosto de um livro.
    Sua resenha é ótima e o livro parece ser bom também, cheio de aventuras, talvez um dia eu leia,
    gostei muito daqui,viu?
    bjos

    http://historiaspossiveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Até o momento não li os principais títulos desse gênero literário, mas dá para perceber duas coisas: o gênero veio para ficar (apesar de estar no mercado desde sempre) e a editora está apostando todas as fichas nessa trilogia.
    Até tenho interesse em ler a trilogia, mas o que quero conhecer mesmo é o título "Veneno", novo lançamento da editora.

    Abraços!
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
  4. é interessante a demanda para este gênero na literatura. Confesso que ainda não tive vontade de ler... Li Balzac apenas... mas, é um gênero que está na minha lista futura para leitura..

    até

    ResponderExcluir